O nome Costas & Oliveira foi impresso no rótulo de uma garrafa de 1979, com uvas colhidas pelas mãos e transportadas pelos braços, sempre de mangas arregaçadas, dos nossos fundadores. Uma analogia que demonstra o empenho e dedicação de visionários relativamente ao negócio que acabariam por impulsionar. Enquanto o vinho estagiava e por ali ganhava corpo, foram criadas  parcerias robustas, por nós orgulhosamente representadas, como a Sogrape, Primedrinks, Super Bock, Diageo, Pernod Ricard, Delta, NewCoffe, Bacardi, entre tantas outras. 

Resiliência tem sido a palavra de ordem… As dificuldades de implementação e desenvolvimento de um negócio foram colmatadas com a confiança depositada na Costas & Oliveira pelos nossos fornecedores e clientes. Assumindo nós, desta forma, a missão de desenvolver as marcas que representamos e assumindo a preocupação, desde 1979, na qualidade dos nossos serviços e na dimensão do nosso portfólio.

De modo a chegarmos cada vez mais longe, em 2019 investimos para cumprir com o que nos comprometemos, só assim estamos capazes das grandes conquitas que ambicionamos. Primeiro com o aumento da nossa estrutura física e posteriormente, em 2020, com a abertura da nossa garrafeira. Este momento surgiu a par com a nossa visão que assenta na competitividade, marcando a diferença e sendo uma referência a nível nacional, disponibilizando produtos diferenciados e exclusivos onde é possível conjugar sabores e texturas nos eventos que realizamos, com provas de vinhos e workshops. Na nossa garrafeira é possível viajar usando a imaginação e o paladar, criando relacionamentos fortes, resistentes e duradouros.

Ano após ano fomos alargando a nossa área de ação e representação, mantendo relações comerciais distribuídas por uma área geográfica já considerável, que nos torna uma das empresas mais importantes do sector. Estava criado o néctar, só faltava fazer saltar a rolha, por isso, em 2022 reinventamos a nossa loja online.


Por aqui continuaremos, a fazer o melhor que sabemos, a servir o melhor que possuímos, sempre conscientes que um caminho não se faz sozinho. Afinal de contas, de que serviria uma boa garrafa de vinho em cima da mesa, se todos os lugares estivessem vazios?

Por agora abrimos juntos a garrafa de 1979, com a memória de quem nunca esquecemos.